Notícias

Cidadãos preocupados com “fake news”

O estudo Edelman Trust Barometer revela que os cidadãos estão preocupados com o crescimento do fenómeno das “fake news”. Preocupação transversal aos inquiridos dos 28 países, dos cinco continentes, que integram o estudo que analisa o nível de confiança de Governo (Líderes Políticos), Organizações Não Governamentais, Empresas e Media.
Em termos globais, aproximadamente 7 em cada 10 entrevistados receia que as “fake news” possa ser usada como “arma”.
Ainda sobre a temática das “fake news”, 59% dos entrevistados afirma ser cada vez mais difícil distinguir se uma notícia foi produzida por um meio de comunicação social respeitado e credível e, em média, 63% não sabe distinguir uma notícia verdadeira de uma notícia falsa.
#TrustBarometer

Confiança nos Estados Unidos da América decresce na era “Trump”

Pela primeira vez na história do Edelman Trust Barometer, que tem 17 anos, os Estados Unidos da América registaram o maior colapso de confiança de sempre, ficando abaixo da Rússia e da África do Sul.
A confiança decresceu em todos as dimensões analisadas pelo estudo: Governo (Líderes Políticos) – que diminuiu 14 pontos para 33% entre toda a população e 30% para 33% entre os públicos mais informados, e nas Empresas, nos Media e nas Organizações Não Governamentais, que registaram declínios de 10 a 20%.
#TrustBarometer

China “na linha da frente” da confiança

Na edição de 2018 do Edelman Trust Barometer, a China é o país em que a confiança impera, quer nas elites informadas (83%), como no público geral (74%), superando assim os outros 27 países analisados.
Comparativamente a 2017, as dimensões Governo (Líderes Políticos), e Empresas foram as que mais cresceram. No público informado, a confiança nas Empresas aumentou 4% (de 81 para 85%) e no Governo 3% (de 86 para 89%). Por sua vez, os resultados do público geral demonstram que a confiança no Governo ascendeu oito pontos percentuais (de 76 para 86%), e nas Empresas sete pontos percentuais (67 para 74%).
E quando comparada aos Estados Unidos da América a população chinesa tende a afirmar que confia mais no seu Governo (Líderes Políticos), enquanto que nos Estados Unidos da América a confiança recai sobre as Organizações Não Governamentais.
No topo do barómetro os países que seguem o “gigante asiático” são a Indonésia, a Índia e os Emirados Árabes Unidos.
#TrustBarometer